Um sacerdote italiano de 75 anos foi condenado a dois anos e seis meses de prisão por agressões sexuais cometidas em 2007 contra uma menina de sete anos em uma paróquia do norte da Itália, informaram fontes da imprensa local.

Segundo as acusações, o padre atraiu a menina para seu escritório, em fevereiro de 2007, com o pretexto de dar doces e aproveitou para tocar seus órgãos sexuais.

O padre, um salesiano e pároco de uma igreja de Arese, perto de Milão, trabalhou durante muitos anos para uma organização não governamental na América do Sul e foi suspenso pela hierarquia da Igreja quando o escândalo veio à tona.

A Justiça proibiu o sacerdote de ter contato com menores de idade e concedeu uma indenização à família da vítima.

“O tribunal reconheceu a verdade hoje”, disse o pai da menina, que pede que outros sacerdotes sejam interrogados por suspeita de terem encoberto o colega.

Para o advogado do sacerdote, Marco Zanchetti, trata-se de uma forma “não satisfatória” de fazer Justiça, já que se considera que seu cliente é inocente.

Segundo a Conferência Episcopal Italiana (CEI), o fenômeno da pedofilia no âmbito da Igreja é menos grave na Itália, onde foram registrados “centenas” de processos canônicos nos últimos dez anos e os bispos costumam ser mais severos.

As diretrizes preveem que se verifique rapidamente em caso de comportamento ambíguo, se distancie o suspeito dos locais com crianças e quando se abra um processo canônico se colabore de forma eficaz.

[b]Fonte: AFP[/b]