O padre Júlio Lancellotti e outras testemunhas de acusação foram ouvidas na tarde desta segunda-feira pelo juiz Julio Caio Farto Salles, na 31ª Vara Criminal do Fórum da Barra Funda, São Paulo.

Os depoimentos foram fechados, pois o processo em que o padre é vítima de extorsão corre em segredo de Justiça. O religioso entrou e saiu do Fórum pela porta dos fundos e não falou sobre o caso.

Segundo informações da Globonews, foram ouvidos outras duas testemunhas do caso.

Os réus no processo são o ex-interno da Febem (atual Fundação Casa) Anderson Marcos Batista, Conceição Eletério, mulher de Batista, e os irmãos Evandro e Everson Guimarães. Eles foram ouvidos na semana passada e estão presos.

O religioso acusa o ex-interno de extorquir dinheiro dele. Lancelotti disse à polícia que repassou para Batista cerca de R$ 80 mil. A defesa do ex-interno afirma que Batista teria recebido do padre mais de R$ 600 mil durante oito anos e que eles mantinham relações sexuais.

Fonte: Terra