Um sacerdote mexicano está sendo investigado pelas acusações de abusar de mais de cem crianças de uma escola privada no Estado de San Luis Potosí.

O procurador de Justiça Miguel Covarrubias anunciou que solicitará ao arcebispo da região, Carlos Cabrero, os arquivos de todas as denúncias feitas contra o religioso Eduardo Córdova.

O porta-voz do arcebispado de San Luis Potosí, Jesús Priego, reconheceu, em coletiva de imprensa, que existe um arquivo aberto contra Córdova por pederastia no Vaticano. Ontem foi colocado na capital de San Luis Potosí um cartaz gigante com foto do padre dizendo “Você foi vítima ? Denuncie”.

Córdova é uma pessoa influente na região, ele fez parte do Conselho Cidadão pela Transparência do governo local, assim como do Conselho dos Direitos Humanos.

m relatório da ONU não economizou na linguagem forte ao acusar o Vaticano nesta quarta-feira (5) de “sistematicamente” adotar políticas que permitiram o abuso sexual contra menores por membros do clero, incluindo medidas para “proteger” os religiosos das consequências de seus crimes.

O Comitê da ONU sobre Direitos da Criança expressou “consternação” com a recusa da Santa Sé em reconhecer a extensão dos crimes cometidos, e pediu que o Estado católico abrisse seus arquivos para revelar os crimes.

A chefe do órgão, Kirsten Sandberg (foto), disse que o Vaticano continua violando a Convenção da ONU para os direitos das crianças “porque não fez o que precisa ser feito”.

— A Santa Sé adotou políticas e práticas que levaram a abusos contínuos e à impunidade dos agressores. A Santa Sé, repetidamente, colocou a reputação da igreja e a proteção dos agressores acima dos interesses das crianças.

A maior parte das acusações de pedofilia na Igreja Católica ocorreu em paróquias da Europa e América do Norte. Veja a seguir os principais casos.

Fonte: R7