Um padre da cidade de Jundiaí, a 65 quilômetros de São Paulo, montou uma central de vigilância na casa paroquial para tentar acabar com os assaltos. Segundo ele, desde que assumiu a paróquia, vários assaltos já foram registrados. Num deles, os bandidos chegaram a levar até duas cruzes.

Nas janelas, o padre colocou plantas com espinhos para tentar impedir a entrada dos ladrões. Um vigia também foi contratado, ao custo de R$ 3 mil mensais.

As câmeras de monitoramento que já eram usadas foram substituídas por novas e em maior quantidade. Elas estão nas entradas da igreja, na recepção, na sacristia e até dentro da capela.

As imagens são monitoradas de dentro da casa do padre. Um sistema gravado e monitorado 24 horas por dia mostra o movimento dentro e fora da igreja.

Desde que chegou à paróquia, há cinco anos, o padre conta que a igreja foi alvo de vários furtos.

– Já levaram tapete, ventilador, duas cruzes. Até hoje não deixamos mais a cruz lá, ela sobe e desce a cada celebração – conta o padre João Estevão da Silva.

Fonte: O Globo