Um padre da cidade norte-americana de Boston foi acusado de perseguir e assediar o popular apresentador Conan O’Brien, informaram as autoridades anteontem.

O suspeito, David Ajemian, foi detido na sexta-feira quando tentava assistir às gravações do talk-show da NBC, Late Night With Conan O’Brien , gravado nos estúdios do Centro Rockefeller, na cidade de Nova Iorque. O membro do clero encontra-se aguardando um exame psiquiátrico ordenado pelo tribunal, ao qual regressa hoje.

Nos documentos sobre o caso encontram-se citações de postais e cartas ameaçadoras (algumas escritas em papel da paróquia), que o padre Ajemian alegadamente enviou para casa do apresentador e para os estúdios, durante mais de um ano, e que continuaram a chegar mesmo depois de um pedido das autoridades para que deixasse de o fazer.

“Dizem-me alguns desses pequenos e atenciosos porteiros que está muito ocupado. É esta a forma como trata o seu fã mais perigoso? Você deve-me muito, pá. Quero uma confissão pública antes mesmo de eu considerar dar-lhe uma absolvição”, escreveu Ajemian em Fevereiro.

Noutra carta, de Abril, o padre dizia: “não sou Seung Cho”, numa alusão ao atirador de Virginia Tech, que matou 32 pessoas. “Mesmo que uma vez tenha estado atento àquela escura e terrível entrada na rua West 72, lembre-se que Frank Costello evitou um bala no seu prédio, e você também o pode fazer”. O gangster foi ferido à entrada do edifício Majestic, na West 72, em Nova Iorque, em 1957.

A correspondência revelava ainda que o padre seguia a carreira do apresentador desde os tempos na Universidade de Harvard, que ambos frequentaram.

Quando foi ordenado, em 2001, o jornal The Boston Herald afirmou que Ajemian havia “despertado para a religião, em parte, por causa do filme de Federico Fellini ‘La Dolce Vita’ “.

De acordo com a Associated Press, a Arquidiocese Católica Romana de Boston já afirmou que o padre foi afastado das suas funções.

Fonte: DN Online – Portugal