O padre Renaldo Jacinto, afastado neste domingo da Paróquia da Soledade, que fica em Recife, Pernambuco, detonou o bispo Dom José Cardoso, na missa de despedida, neste domingo. “Se eu pudesse, dava uma surra no bispo”, falou, para uma platéia de cerca de 2 mil fiéis.

“Podem dizer a ele. Eu saio, mas volto. Em junho do próximo ano, ele se aposenta. Vai para casa dele, fumar cachimbo na cadeira de balanço. Quando é para falar mal dos padres, ele recebe e dá atenção. Isto não é coisa de gente normal”, afirmou.

Segundo explicou aos fiéis, o ponto de discórdia foi um pedido para construir um santuário em uma cidade do interior onde 70% da população é evangélica e era humanamente impossível fazer a obra.

A comunidade queria até fazer uma passeata e um abaixo-assinado em protesto contra a remoção. Chamaram até a Rede Globo, que filmou a missa, mas ele não aceitou dar entrevista. “Não quero que digam que eu sou um padre agitador”, justificou. “A justiça de Deus tarda, mas não falha”.

O novo padre vem de Jardim São Paulo, em Recife. O próprio bispo ficou de celebrar a missa ontem à noite para apresentar o novo padre.

O padre afastado está há 12 anos em Pernambuco, cedido pelo bispo de Alagoas. Na paróquia da Soledade, está há sete anos, sendo muito querido. Também é ex-tesoureiro da Arquidiocese de Olinda e Recife. No Recife, construiu três igrejas, entre elas na Mangueira.

Vai agora para João Pessoa, ser capelão militar.

No altar, revelou que vai ficar com as ofertas do dia, mesmo sabendo que é errado, para comprar um presente que lembre a comunidade, depois de deixar todas as contas da igrejas pagas, com o ofertório da missa da ultima quarta-feira. Estava depressivo e chorou muito.

Bispo dom José não apareceu na missa

Dom José Cardoso sobrinho, que era esperado na matriz da Soledade para a missa das 18h, quando apresentaria à comunidade o novo pároco, padre Nilson, não apareceu na celebração.

Alegando estar adoentado, o arcebispo de Olinda e Recife, que afastou o antigo pároco, padre Renaldo Jacinto, mandou dom Edvaldo, um de seus auxiliares, para a celebração.

Fonte: JC Online