A atitude tomada por um Padre durante uma missa realizada na Igreja Matriz causou mal estar e indignação em parte dos fiéis que acompanhavam a celebração no último sábado (11) em Amambai.

Revoltado, supostamente com o resultado das eleições e principalmente com as declarações do vice-prefeito eleito, José Aguiar, que durante uma entrevista de rádio após as eleições teria chamado alguns eleitores de “papa hóstias” o Padre Feliz Vecka teria desafiado a fé dos fiéis em relação a Nossa Senhora Aparecida e a própria hóstia e queimado no altar, uma cédula, supostamente de R$ 100 reais e rasgado um maço de dinheiro com pelo menos, segundo teria falado o próprio sacerdote aos fiéis, mais R$ 900 reais, supostamente insinuando, no ponto de vista do Padre, que os candidatos, tanto prefeito como vice, teriam comprado votos para se elegerem.

Indignados alguns fiéis procuraram a imprensa para contestar a atitude do Padre. “Fiquei indignada e sem resposta quando meu filho me perguntou se o Padre havia queimado e rasgado o dinheiro”, disse uma fiel que procurou nossa reportagem para reclamar da cena que segundo ela, presenciou dentro da Igreja.

“O Padre duvidou da nossa fé ao insinuar que deixamos de crer em Nossa Senhora Aparecida e na hóstia sagrada por termos exercido nosso livre e constitucional direito de votar em quem quer que seja e olha que não votei nos candidatos insinuados pelo Padre”, disse outro fiel que também se sentiu constrangido com a ação do líder católico.

Panos quentes- Na segunda-feira (13) dois dias após o incidente, o candidato a prefeito eleito, Dirceu Lanzarini manteve uma reunião com o próprio Padre Felix Vecka e membros da Igreja Católica local para colocar “panos quentes” na situação.

“Tive uma longa e produtiva conversa com o Padre e os membros da direção da Igreja e todo esse mal entendido foi desfeito. Para mim esse assunto acabou”, disse o prefeito eleito Dirceu Lanzarini.

“Não quis ofender a igreja ou fiéis”, disse Aguiar

Procurado pela reportagem o vice-prefeito eleito José Aguiar, pivô da crise, confirmou quer proferido a palavra “papa hóstia” durante uma entrevista de rádio, mas o objetivo, segundo ele, não foi ofender a comunidade católica ou a Igreja e sim se referir a alguns membros e freqüentadores assíduos da entidade religiosa que , segundo Aguiar, na calada da noite teriam saído pelas ruas tentando comprar votos dos eleitores e inclusive alguns deles teriam sido flagrados pelas Justiça Eleitoral nas vésperas das eleições, atitudes essas, segundo Aguiar, condenável tanto no aspecto jurídico como no aspecto religioso.

Padre não foi encontrado- Tentamos falar com o Padre Felix Vecka nessa quinta-feira para ouvir sua versão em relação aos fatos e após tempos de espera no escritório da Igreja, não conseguimos ser atendidos pelo sacerdote.

Informações não oficiais apontam que as supostas notas de R$ 100 reais queimadas e rasgadas pelo Padre no altar durante a missa, que em valores reais dariam para comprar pelo menos 20 cestas básicas, eram fictícias.

As informações dão conta também que durante a reunião de segunda-feira com o candidato eleito, o Padre teria relatado que suas conotações durante a missa foram mal interpretadas por algumas das pessoas presentes durante celebração.

Fonte: A Gazeta News