O padre Cícero Leite da Cruz, pároco da Pitanguinha (Maceió – AL), denunciou em entrevista ao programa Ministério do Povo da Rádio Gazeta, na manhã desta seguhda-feira,8, haver sido humilhado durante uma revista no Cadeião em Alagoas.

Ele foi obrigado a ficar despido na presença dos agentes penitenciários, apesar de estar vestido como um vigário da igreja Católica.

Segundo o padre, além do constrangimento de ter ficado quase nu, ele advertiu ter sido tratado com arrogância e empáfia por parte dos servidores do Cadeião. Cícero estava no presídio para visitar um ex-paroquiano.

O pároco da Pitanguinha considerou absurdo o que fizeram com ele, pois além de padre é um senhor de mais de 60 anos. “Imagine o que eles fazem com os visitantes mais pobres. Não se pode tratar o ser humano desta forma”, destacou.

O padre acrescentou que não quer privilégios, pois concordou tranquilamente em entrar numa fila, mas achou uma falta de respeito ser obrigado a tirar suas roupas. No seu entender, o Estado existe para proteger e não para humilhar o cidadão.

Fonte: Gazeta Web