O cardeal mexicano Norberto Rivera determinou que sacerdotes, diáconos e seminaristas de sua jurisdição eclesiástica, que abrange a capital e parte de seus arredores, receberão cursos sobre sexualidade.

Rivera, presidente da Primeira Arquidiocese do México, a maior do país, é acusado pela Justiça norte-americana de proteger um padre que abusou de mais de 80 crianças no México e nos EUA.

“A sexualidade na vida consagrada” é o nome do curso, que será organizado nas oito paróquias do arcebispado. Os temas abordados serão “A sexualidade na vida consagrada”, “Psicologia sexual”, “Direitos humanos” e “Aspectos jurídicos”.

Aos sacerdotes que vivem sozinhos é sugerido que se reúnam com outros clérigos, visitem sua família e levem uma vida em comunidade.

Os folhetos que anunciam os cursos também recordam aos sacerdotes, diáconos e seminaristas a importância de “viver na castidade” e “sublimar” seus impulsos para “canalizar a energia vital dos indivíduos”.

Especialistas em religião consideraram a medida “tardia, mas recomendável” e disseram que a única coisa que Rivera faz é seguir o exemplo da igreja católica dos Estados Unidos, onde são dadas assessorias psicológica e jurídica aos padres para evitar novos casos de abuso sexual e estupros.

Nos cursos, será recomendado aos religiosos que evitem ficar sozinhos com crianças, não irem desacompanhados a casa de leigos, tratar as crianças com respeito e não dar tratamento preferencial ou fazer demonstrações de afeto para alguns deles para “evitar confusões”.

Fonte: Ansa