Uma pequena empresa mexicana lançou no mercado uma cerveja com o nome do lendário Jesus Malverde, um “santo” não reconhecido pela Igreja Católica e considerado padroeiro dos narcotraficantes, informou nesta quarta-feira um porta-voz da companhia, na cidade de Guadalajara, no oeste do México.

Desde terça-feira os consumidores podem encontrar numa rede de supermercados dos estados de Sonora e Sinaloa a garrafa de 355 mililitros com a imagem e o nome de Malverde.

Ivan Gutiérrez, porta-voz da Cervejaria Minerva, explicou à Efe que há três meses a empresa começou a produção da Malverde. A expectativa é de comercializar 10 mil caixas de 24 garrafas em 2007.

“A intenção é divulgar um ícone muito importante dentro da cultura mexicana e com seguidores inclusive em outros países”, disse Gutiérrez.

Ele disse que as autoridades não criaram problemas para registrar a marca, apesar do nome polêmico. “Em novembro de 2006 iniciamos os trâmites de registro e em setembro de 2007 fomos autorizados. Então começamos a produzir a cerveja”, explicou.

Jesus Malverde é considerado o “santo” dos narcotraficantes. Eles construíram capelas em sua homenagem em várias cidades, principalmente no norte do México, e inclusive em outros países.

A lenda de Malverde, cuja existência nunca pôde ser comprovada, é de que ele foi um assaltante que roubava dos ricos para dar aos pobres. Entre as muitas versões sobre sua origem, dizem que nasceu em Jalisco ou Sinaloa, em 1870, mas sempre atuou em Culiacán (Sinaloa). Lá ele teria sido capturado e enforcado pelos guardas rurais, em 3 de maio de 1909.

Os fiéis mais famosos de Malverde são os narcotraficantes. Mas em suas capelas também aparecem ladrões, matadores de aluguel, prostitutas, drogados e imigrantes.

Gutiérrez, porta-voz da cervejaria, insiste que o nome está ligado à cultura do México. “Estamos orgulhosos de promover esta marca”, disse.

A Cervejaria Minerva, fundada por empresários do estado de Jalisco, tem capacidade de produzir 100 mil litros mensais.

Fonte: EFE