O suicídio de mais uma adolescente na cidade de Bridgend, no País de Gales, levou pais das vítimas a criticar a atuação da mídia britânica nos episódios, que têm rendido manchetes e especulações de um culto suicida organizado pela internet.

O corpo da adolescente Jenna Parry, 16, descoberto nesta terça-feira em um bosque na pequena Cefn Cribwr, a cerca de oito quilômetros de Bridgend, foi o 17º caso de suspeita de suicídio de jovens na área em apenas um ano.

Na semana passada, dois primos, de 15 e 20 anos de idade e ambos de Bridgend, morreram em um período de dois dias.

Os pais de um deles, Nathaniel Pritchard, acusaram nesta terça-feira a mídia britânica de ‘glamourisar’ os incidentes e incitar mais mortes.

“Perdemos um filho e a cobertura da mídia tornou insuportável um período já difícil. Não queríamos conversar com a mídia. Não apenas nós, mas também outras famílias”, disseram em uma coletiva de imprensa Vincent e Sharon Pritchard.

“Temos a impressão de que Nathaniel deve ter pensado que esta era uma maneira de chamar atenção, sem considerar todas as conseqüências. A cobertura da mídia poderia levar outras pessoas que já estão se sentindo para baixo a acabar com suas próprias vidas.”

Pacto suicida

As 17 mortes ocorridas em cerca de um ano no condado, que tem cerca de 130 mil habitantes, levantou a suspeita de que as vítimas fizessem parte de alguma espécie de pacto suicida combinado via internet.

Na terça-feira, a polícia local afirmou que os adolescentes “faziam parte de sites de relacionamento, mas não existe sugestão de que usassem esses sites como meio para pôr fim às suas vidas”.

“Eles eram todos jovens com grandes problemas”, disse o inspetor-chefe assistente Dave Morris.

Após a descoberta da 17ª morte, o governo do País de Gales anunciou que lançará uma série de recomendações para tentar reduzir em 10% os casos de suicídio até 2012.

Entre os projetos está a ampliação dos serviços de aconselhamento para jovens nas escolas, que receberiam nos próximos três anos investimentos de 6,5 milhões de libras (quase R$ 23 milhões).

Fonte: BBC Brasil