A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) anunciou durante a cúpula sobre segurança alimentar encerrada hoje, que alguns países se comprometeram a doar um total de US$ 8,5 bilhões para o combate a fome no mundo.

Estes recursos econômicos se rão destinados “às nações mais atingidas pela atual crise dos alimentos, para que possam aumentar sua produção de comida na próxima temporada de plantação”.

O diretor-geral da FAO, Jacques Diouf, anunciou durante a entrevista coletiva no fim da cúpula que os Estados Unidos prometeram US$ 1,5 bilhão de ajuda.

As doações anunciadas pela FAO foram as da França (US$ 1,5 bilhões, em cinco anos), Banco Islâmico para o Desenvolvimento (US$ 1,5 bilhão, em cinco anos), Banco Mundial (US$ 1,2 bilhão), Banco Africano para o Desenvolvimento (US$ 1 bilhão), Espanha (US$ 773 milhões, em quatro anos) e Reino Unido (US$ 590 milhões).

Outras doações menores, são as de Japão (US$ 150 milhões), Venezuela (US$ 100 milhões), Kuwait (US$ 100 milhões), Nações Unidas (US$ 100 milhões), Holanda (US$ 75 milhões) e Nova Zelândia (US$ 7,5 milhões).

Diouf disse que embora o objetivo da cúpula não fosse recolher fundos, “a surpresa foi o anúncio de doações por parte de países e instituições, que superaram qualquer expectativa”.

Fonte: EFE