O projeto foi apresentado hoje pela direção do Santuário Nacional de Aparecida. O palco será dividido em partes. No altar central, além do pontífice, vão ficar seis cardeais e o chefe de cerimonial do Vaticano.

Cerca de 400 bispos e cem padres serão acomodados em espaços separados. Outra parte será reservada às autoridades. Na lateral vai ficar um coral com mil pessoas. A estrutura inclui ainda um camarim no subsolo e um túnel de acesso ao palco.

A missa deve reunir, segundo a direção do Santuário, cerca de 500 mil pessoas e será ao ar livre, em 13 de maio, data da abertura da 5ª Conferência Geral dos Bispos da América Latina e Caribe. De acordo com administrador do santuário, padre Hélcio Testa, o projeto vai permitir uma ampla visão do papa durante a missa. O sacerdote também confirmou o trajeto do papa no pátio do Santuário Nacional. “O papa vai contornar o santuário e passar no papamóvel entre os fiéis. Depois descerá próximo à rampa de acesso da santa para depois subir ao palco”.

As obras do palco começaram em dezembro e a estrutura deve ficar pronta no início de maio. Os custos serão bancados pela organização da conferência e também pelas doações que chegam a Aparecida por meio da Campanha dos Devotos, um movimento dos devotos de Nossa Senhora Aparecida criado há sete anos.

Pela terceira vez desde o início do ano, uma comitiva do Vaticano esteve em Aparecida hoje, visitando mais uma vez os locais onde o papa vai estar na cidade. Cinco representantes da Santa Sé estiveram novamente na Fazenda Esperança, onde funciona um projeto de tratamento para dependentes químicos do Brasil e do exterior. No dia 14 de maio, o papa vai estar na fazenda falando com dois mil jovens. No período da tarde, a comitiva também visitou as dependências da basílica, mas não falou com a imprensa. Na semana que vem, as 26 comissões formadas para organizar a vinda do papa a Aparecida vão se reunir em um encontro de trabalho.

Fonte: Ultimo Segundo