O papa Bento XVI avaliou hoje as campanhas realizadas em países africanos que promovem a fidelidade conjugal e a castidade para deter o avanço da aids no continente.

Bento XVI comentou estas iniciativas nos discursos que dirigiu para os novos embaixadores da Nigéria e da Uganda diante da Santa Sé.

“Uganda fez muito nos campos de educação, desenvolvimento e assistência médica, sobretudo na luta contra a aids, e com uma política acertada na prevenção baseada na continência e na promoção da fidelidade no casamento”, declarou o papa.

O papa lembrou o papel da Igreja Católica no combate à aids através dos “programas que acentuam a fidelidade dentro do casamento e a abstinência fora dele”.

Além disso, Bento XVI assegurou que os católicos do continente africano, ao lado de médicos, enfermeiras, ajudantes e educadores, “seguirão lembrando a todos os homens e mulheres, e sobretudo jovens, a necessidade de reafirmar o valor da família” para lutar contra esta doença.

Fonte: EFE