O papa Bento 16 pediu aos italianos que respeitem os direitos dos imigrantes ilegais no país, depois de uma onda de violência contra lavradores africanos no sul da Itália.

O papa disse que os imigrantes podem ter culturas e tradições diferentes, mas são seres humanos merecedores de respeito.

Cerca de 70 pessoas – inclusive migrantes, policiais e moradores locais – ficaram feridas depois de vários dias de violência em Rosarno, na Calábria.

Desde então, centenas de africanos foram escoltados para fora da cidade pela polícia.

O papa Bento 16 defendeu o direito dos lavradores pobres africanos, que foram alvo de violência nos últimos dias.

“Nós temos que chegar ao coração do problema, a importância do ser humano”, disse o papa.

O governo italiano disse que pretende expulsar centenas de imigrantes ilegais do norte e do oeste da África, que sobrevivem com salários de fome na época da colheita de frutas, azeitonas e tomate.

Máfia

Mas o problema também está relacionado ao crime organizado no sul da Itália.

A máfia local, conhecida como ‘Ndrangheta (palavra de origem grega que quer dizer “heroísmo”), controla um mercado de trabalho que emprega um número cada vez maior de trabalhadores ilegais sazonais.

Os trabalhadores vivem em condições precárias e recebem uma diária baixa, da qual têm que tirar uma parte para pagar comissão aos seus gerentes.

No momento, os imigrantes estão colhendo principalmente frutas cítricas – um trabalho árduo que os italianos evitam fazer.

O montante que recebem é em dinheiro, e as leis trabalhistas e regulamentos relativos à segurança são ignorados. Impostos e contribuições para a seguridade social também deixam de ser pagos.

A máfia calabresa tornou-se uma das organizações criminosas mais poderosas da Itália nos últimos anos, controlando boa parte do tráfico de drogas na Europa. Agora ela está ampliando suas operações para lidar com o mercado de trabalho para imigrantes ilegais.

Fonte: BBC Brasil