O papa Bento XVI afirmou ontem que a Igreja Católica “não tem fronteiras”, “é universal” “e fala todos os idiomas do mundo”, na missa celebrada no Santuário de Santa Maria di Leuca, na região italiana da Apúlia, aonde chegou hoje em visita pastoral.

O papa celebrou ontem uma missa na esplanada do Santuário de Santa Maria di Leuca, um templo situado extremo leste da Itália, e de onde é possível ver o Mar Adriático e o Mar Jônico.

O pontífice lembrou em sua homilia que este santuário é conhecido como o de “de finibus terrae”, pois era o local que marcava o limite do Império Romano, e disse que, no entanto, a Igreja Católica “não tem fronteiras, é universal”.

“Os limites geográficos, culturais, étnicos, ou inclusive as fronteiras religiosas são para a Igreja um convite à evangelização sob a perspectiva de uma comunhão na diversidade”, disse.

Bento XVI acrescentou que a missão da Igreja Católica é “falar em todos os idiomas do mundo” e que sua originária vocação é “ser, como revelava o profeta Abraão, uma bênção para todos os povos da Terra”.

Em outra passagem de sua homilia, o papa denunciou a tendência ao “individualismo” da sociedade moderna, e disse que o primeiro serviço da Igreja Católica é “educar ao sentimento social, à atenção ao próximo, à solidariedade e ao compartilhar”.

Segundo o papa, a Igreja Católica “exerce um influxo positivo no plano social, porque promove uma humanidade renovada e relações mais abertas e construtivas”.

Acrescentou também que a Igreja Católica “não pode e não quer substituir as instituições”, e que sua única missão é a de “estimulá-las e apoiá-las”, e “colaborar com elas pelo bem de todos, a partir das situações mais difíceis”.

Além disso, disse aos jovens do sul da Itália que “o bem sempre ganha, mas às vezes pode aparecer derrotado pelos atropelos e pelas artimanhas”.

A visita a esta zona da Apúlia é a décima realizada na Itália desde o início de seu Pontificado, e a segunda a esta região.

O papa irá depois a Brindisi, onde terá um encontro com os fiéis da cidade, em particular com os jovens.

Hoje, o papa cumprimentará as religiosas da diocese, e depois celebrará uma missa no porto de Brindisi. À tarde, se reunirá os sacerdotes na catedral local, concluindo assim sua visita.

Fonte: EFE