O Papa Bento XVI confessou nesta segunda-feira que há 10 anos, quando era cardeal, desejava renunciar ao cargo que exercia no Vaticano para se dedicar completamente aos estudos, mas que “a providência tinha outros planos para ele” quando João Paulo II rejeitou sua renúncia.

O Papa, de 80 anos, fez esta confissão durante uma visita à biblioteca e aos arquivos do Vaticano, onde o atual chefe da Igreja Católica desejava se dedicar ao estudo de importantes textos e documentos secretos.

A notícia confirma os rumores que circularam em 2002, de que o cardeal Joseph Ratzinger, atual pontífice, havia apresentado sua renúncia ao cargo de prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé.

Bento XVI, teólogo de formação, deu a entender em diversas ocasiões que prefere os estudos ao trabalho pastoral.

Esta foi a primeira vez que o Papa, eleito em 2005, admitiu seus desejos frustrados.

“Confesso que ao chegar aos 70 anos gostaria muito que João Paulo II tivesse me concedido a possibilidade de me dedicar aos estudos e à pesquisa de documentos únicos, de grandes obras que nos ajudam a percorrer a história da humanidade e do cristianismo”, afirmou durante uma visita aos arquivos do Vaticano.

“Mas o Senhor, com seus desígnios providenciais, decidiu outro plano para mim. Por isso estou aqui, não como um apaixonado estudioso de textos antigos, sim como pastor”, acrescentou.

A visita do Papa à biblioteca coincide com o fechamento por um período de três anos do local para a realização de importantes obras de restauração.

Fonte: AFP