O Papa Bento XVI denunciou nesta sexta-feira o “gravíssimo fenômeno” do terrorismo que às vezes “instrumentaliza Deus” e se serve dele como “pretexto para justificar suas ameaças” contra a sociedade ocidental, durante um encontro com a Internacional Democrata Cristã.

“O terrorismo representa um fenômeno muito grave, que freqüentemente instrumentaliza Deus e despreza de maneira injustificável a vida humana”, declarou o Papa em um encontro na residência de verão de Castel Gandolfo com representantes da Internacional Democrata de Centro e a Internacional Democrata Cristã.

“Algumas redes terroristas buscam em Deus o pretexto para justificar suas ameaças contra a segurança das sociedades ocidentais”, prosseguiu Bento XVI em seu discurso, publicado no site do Vaticano.

“O terrorismo deve ser combatido com determinação e eficácia, sendo conscientes de que se o mal se propagar, a solidariedade entre os homens pelo bem se faz ainda mais difusa”.

“É portanto necessário garantir corajosamente a segurança da sociedade e dos membros que a compõem, protegendo os direitos inalienáveis de cada pessoa”, destacou o Papa.

“A sociedade tem o direito de se defender, mas este direito, como os outros, deve sempre ser exercido no pleno respeito das regras morais e jurídicas”, concluiu Bento XVI.

Fonte: AFP