O papa Bento XVI denunciou neste domingo durante a oração do ngelus “a espiral de morte e destruição que parece não ter fim” na Terra Santa, e incentivou os dirigentes israelenses e palestinos a continuarem negociando “um futuro pacífico para seus povos”.

“Nos últimos dias, a violência e o horror ensangüentaram de novo a Terra Santa, alimentando uma espiral de morte e destruição que parece não ter fim”, declarou o Papa diante de milhares de peregrinos reunidos na Praça de São Pedro.

Oito estudantes de uma escola de Talmud em Jerusalém Ocidentam morreram em um atentado na quinta-feira perpetrado por um palestino. Dias antes, ataques israelenses na Faixa de Gaza lançados em represália a disparos de mísseis causaram 120 mortes no lado palestino.

“Encorajo as autoridades israelenses e palestinas em sua intenção de continuar construindo, através das negociações, um futuro pacífico e justo para seus povos”, declarou o papa.

Bento XVI pediu “a todos, em nome de Deus, para que abandonem as tortuosas vias do ódio e da vingança, para tomar de maneira responsável os caminhos do diálogo e da confiança”.

O papa expressou o mesmo desejo para o Iraque, e pediu novamente a libertação do monsenhor Faraj Rahou, arcebispo de Mosul (norte) seqüestrado em 29 de fevereiro.

Fonte: AFP