A autoridade e a hierarquia são “fundamentais” e há uma interpretação equivocada de que estes valores são a antítese de uma Igreja pastoral e comunitária, disse nesta quarta-feira o papa Bento 16 durante a tradicional audiência das quartas-feiras na Praça de São Pedro.

O papa falou do conceito de autoridade e referiu-se às ditaduras da Europa do Leste e do Oeste no século 20 que “semearam o terror e a morte” e lembram que a autoridade quando se exerce sem uma referência a Deus termina contra o homem.

“É importante reconhecer que a autoridade humana não é jamais o fim,(..) mas o meio cujo fim é sempre a pessoa criada por Deus”.

Para o papa, uma autoridade tão intensa, que tenha como único objetivo o bem das pessoas “é uma preciosa ajuda em direção à realização em Cristo, em direção à salvação” e está nas mãos da Igreja.

Segundo Bento 16, a Igreja “se ocupa de exercitar este tipo de autoridade”, que é um “serviço”, e não a exercita para si próprio, mas em nome de Jesus Cristo.

O papa pediu aos sacerdotes uma “disponibilidade incondicional” para dirigir o rebanho confiante para onde o Senhor o queira levar “porque nenhum é capaz de pastorear o rebanho se não vive em uma profunda obediência real a Cristo e à Igreja”.

Bento 16 acrescentou que nos últimos anos se utilizou frequentemente o adjetivo “pastoral” quase em oposição ao conceito de “hierarquia”.

No entanto, o papa ressaltou que o modo de governar não é o do domínio, já que “o exercício da autoridade deve ser expressão da caridade pastoral”.

O pontífice pediu aos fiéis que lotavam a praça de São Pedro que rezem por ele, “sucessor de São Pedro”, que tem o dever de governar a Igreja de Cristo, como também a todos vossos bispos e sacerdotes”.

Fonte: Folha Online