Uma sinagoga de Nova York deu ao papa Bento 16 uma calorosa acolhida nesta sexta-feira, quando o rabino chefe elogiou seu trabalho de diálogo inter-religioso e por ele reduzir as recentes tensões entre católicos e judeus.

“Um caloroso shalom. Willkommen”, disse Arthur Schneier, rabino chefe da Sinagoga de Park East Synagogue, usando a palavra em hebraico para “paz” e a palavra em alemão para “bem-vindo”.

A visita na véspera da Páscoa Judaica, que marca a Hégira do Egito, foi a terceira de um papa num templo judaico. O pontífice visitou uma em Colônia, na Alemanha, em 2005, e o antecessor dele, papa João Paulo 2o, foi a uma sinagoga de Roma em 1986.

“É com alegria que eu venho aqui, apenas algumas horas antes da celebração da sua Pesah, para expressar meu respeito e estima pela comunidade judaica em Nova York”, disse o pontífice alemão.

“Eu estimulo a todos vocês que continuem construindo as pontes de amizade com todos os grupos étnicos e religiosos presentes na sua vizinhança.”

As relações judaico-católicas foram estremecidas em fevereiro quando uma nova oração para a Sexta-Feira Santa no antigo rito latino pedia a conversão dos judeus. Bento 16 selecionou parte do texto e o aprovou.

Vários líderes judaicos criticaram a oração e o Vaticano divulgou uma comunicado segundo o qual o texto “de forma alguma pretende indicar uma mudança na Igreja Católica em relação aos judeus”.

Fonte: Reuters