Em uma carta ao patriarca da Igreja Ortodoxa Etíope, Abuna Matthias, o papa Francisco exprimiu sua “grande consternação e dor” pelo assassinato de 28 cristãos nativos do país pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

Na correspondência, o Pontífice lamenta as “atrocidades” que os seguidores do cristianismo sofrem em algumas partes do mundo apenas por causa de sua religião. Além disso, ele assegurou a Matthias “proximidade nas orações frente ao contínuo martírio que é infligido de modo tão cruel a cristãos na África, no Oriente Médio e em algumas regiões da Ásia”.

“Não faz qualquer diferença que as vítimas sejam católicas, coptas, ortodoxas ou protestantes. O sangue delas é o mesmo em sua confissão de Cristo”, escreveu o Papa. A execução dos etíopes, que teria ocorrido na Líbia, foi revelada no último domingo (19) em um vídeo divulgado pelo EI nas redes sociais.

A gravação de cerca de meia hora mostra a execução de dois grupos, um com 16 e outro com 12 homens. Os do primeiro foram decapitados em uma praia, enquanto os do segundo morreram baleados no que parece ser um deserto.

[b]Fonte: CBN com informações da Ansa Brasil[/b]