O Papa Bento ofereceu nesta segunda-feira o apoio e a “disponibibilidade” da Igreja nicaragüense para trabalhar com o governo sandinista de Daniel Ortega, informou a Santa Sé.

“Os bispos em seu país oferecem sua disponibilidade para manter um diálogo e uma comunicação constante e sincera com o governo”, anunciou o Papa ao receber na residência de Castelgandolfo, perto de Roma, o novo embaixador da Nicarágua ante a Santa Sé, José Cuadra Chamorro, que apresentou suas cartas credenciais.

Em seu discurso, Bento XVI elogiou “as prioridades” que o novo governo de Ortega – no poder desde janeiro deste ano – fixou, entre elas “obter a chamada ‘Fome Zero’, combater o problema das drogas, incrementar a alfabetização e eliminar a pobreza”.

O governo anterior de Ortega, na década de 80, teve problemas com a Igreja ao contar, em seu gabinete, com destacados sacerdotes, que, inclusive, foram declarados à revelia e sancionados pelo Vaticano ao se negar deixar seu cargo, entre eles o mais conhecido, o poeta e sacerdote Ernesto Cardenal.

Fonte: AFP