O papa Bento 16 fez nesta sexta-feira um apelo aos legisladores do mundo para que se oponham a leis que enfraqueçam a instituição do casamento. O apelo foi feito um dia depois do governo italiano ter proposto medida que reconhece casais homossexuais e uniões estáveis.

A administração de centro-esquerda de Romano Prodi não chegou a propor o reconhecimento do casamento gay — como já aconteceu na Espanha, outro país de maioria católica.

Mas a legislação proposta na Itália garantiria direitos em áreas como herança, propriedade e trabalho, independentemente do sexo, desde que o relacionamento esteja oficialmente registrado.

Religiosos italianos criticaram a proposta, afirmando que ela é um ataque contra o casamento. Um integrante católico do gabinete boicotou a reunião ministerial que aprovou a proposta.

Falando com o novo embaixador colombiano no Vaticano, o papa manifestou sua preocupação com ‘leis que tocam em questões muito delicadas como defesa da vida, identidade da família e respeito pelo casamento’.

‘É necessário convocar a responsabilidade das figuras seculares nas legislaturas, nos governos e nos judiciários para garantir que as leis sempre expressem os princípios e valores de acordo com a lei natural e promovam o bem comum autêntico’, disse ele, segundo um texto divulgado pelo Vaticano.