O Papa Bento XVI manifestou nesta sexta-feira seu desejo de que a Igreja Católica possa ter “um acesso normal aos meios de comunicação” em Cuba, em um encontro com vários bispos cubanos no Vaticano.

“Neste momento da história” de Cuba, a Igreja “está destinada a oferecer a toda a sociedade a única esperança verdadeira: Cristo nosso Senhor, vencedor do pecado e da morte”, disse o Papa.

“Por isso, desejo que a Igreja de Cuba, conforme suas aspirações legítimas, possa ter um acesso normal aos meios de comunicação social”, acrescentou.

Bento XVI também pediu à Igreja cubana que defenda a família, ameaçada pelo divórcio, pelas dificuldades econômicas, pelo aborto e, inclusive, pela partida de inúmeros cubanos para o exterior.

“Sei como é preocupante a situação da família, cuja estabilidade está ameaçada pelo divórcio e suas conseqüências, pela prática do aborto e pelas dificuldades econômicas, assim como pelas separações familiares causadas pela emigração ou por outros motivos”, declarou.

Os bispos cubanos viajaram para o Vaticano para a tradicional visita “ad limina”, que todos os bispos do mundo realizam periodicamente.

O cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado do Vaticano, em nome do Papa, fez uma visita a Cuba em fevereiro, quando Raúl Castro foi nomeado sucessor de Fidel.

Fonte: AFP