O papa Francisco pediu neste sábado, ao chegar em Cuba os meios necessários para que a Igreja Católica exerça o seu trabalho “com liberdade” na ilha, e enviou uma saudação ao pai da revolução cubana, Fidel Castro.

“Hoje renovamos esses laços de cooperação e amizade (com o governo comunista cubano) para que a Igreja continue acompanhando o povo cubano em suas esperanças e preocupações, com liberdade e todos os meios necessários para levar o anúncio do Reino (de Deus) às periferias existenciais da sociedade”, disse o papa ao presidente Raúl Castro e aos bispos cubanos em sua chegada em Havana.

o pontífice também pediu que os governantes de Estados Unidos e Cuba continuem avançando no processo de normalização das relações diplomáticas, restabelecidas no dia 20 de julho, depois de uma reaproximação iniciada em 2014 graças à sua mediação.

“Há vários meses, estamos sendo testemunhas de um acontecimento que nos enche de esperança: o processo de normalização das relações entre dois povos, depois de anos de distanciamento. Animo aos responsáveis políticos a continuar avançando por esse caminho”, declarou o papa diante do presidente Raúl Castro e dos bispos cubanos.

[b]Fonte: AFP[/b]