Um dia após nomear 19 novos cardeais no Vaticano, incluindo o arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, o papa Francisco cobrou humildade e lembrou que eles estão entrando para a “Igreja de Roma, e não em uma corte”.

“Devemos evitar hábitos das cortes: intrigas, fofocas, favoritismos, preferências. A nossa linguagem deve ser aquela do Evangelho, nossas atitudes devem ser aquelas da beatidão e nossa vida deve ser aquela da santidade”, declarou o Pontífice em uma missa celebrada neste domingo (23) na presença dos recém-empossados cardeais.

Francisco também pediu para os religiosos amarem os que são hostis a eles, saudando com um sorriso àqueles que “talvez não mereçam”. “Devemos opor a brandura à prepotência, esquecendo as humilhações sofridas. Deixemo-nos sempre guiar pelo espírito de Cristo, que sacrificou a si mesmo na cruz para que pudéssemos ser ‘canais’ pelos quais escorre a sua caridade. Essa deve ser a conduta de um cardeal”, acrescentou.

O Papa ainda instou os cardeais a ficarem próximos dele por meio das orações, de bons conselhos e de colaborações. “Caros cardeais, permaneçamos unidos em Cristo e em nós!”, completou. Nomeação Arcebispo do Rio de Janeiro e organizador da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) do ano passado, Dom Orani João Tempesta foi nomeado cardeal por Francisco em um consistório realizado na Basílica de São Pedro, no Vaticano, no último sábado (22). A cerimônia contou com a presença da presidente Dilma Rousseff e do papa emérito Bento XVI.

Assim como outros 17 religiosos, ele recebeu de joelhos das mãos do Pontífice o barrete (chapéu vermelho usado pelos cardeais), além de um anel. “A Igreja precisa de vocês, da sua colaboração e da sua coragem, para anunciar o Evangelho em cada ocasião oportuna e não oportuna. A Igreja precisa das suas orações e da sua compaixão nesse momento de dor e sofrimento em tantos países do mundo”, afirmou Francisco.

Dom Orani tornou-se o 10º cardeal brasileiro, dos quais quatro podem votar em um eventual conclave. Cada um dos 19 membros do clero nomeados pelo Papa também recebeu o título de uma igreja de Roma. No caso do arcebispo da capital fluminense, a escolhida foi a Igreja de Santa Maria Mãe da Providência, que ganhará seu brasão e sua foto.

Entre os escolhidos do Papa, apenas o arcebispo de Mesembria, Loris Capovilla, não pode participar da celebração.

[b]Fonte: Ansa[/b]