O papa Bento XVI pediu ontem aos fiéis, durante a celebração do Ângelus, que abram seu coração para ouvir a “palavra de Deus” e para encontrar Jesus, que “nos revela seu amor”.

Durante a tradicional celebração do Ângelus, o pontífice falou da passagem da Bíblia sobre o encontro entre Jesus e uma samaritana à qual pediu que bebesse em um poço.

A mulher de Samaria “representa a insatisfação existencial de quem não encontrou o que procura”, no entanto, “tudo mudou para ela naquele dia, graças ao encontro com o Senhor Jesus”, indicou.

Desta forma, Bento XVI pediu aos fiéis que abram seu coração “a ouvir confiantemente a palavra de Deus para encontrar, como a samaritana, Jesus, que nos revela seu amor e nos diz: Messias, seu salvador, ‘sou eu que falo'”.

O papa disse que a sede de Cristo é “uma porta de acesso ao mistério de Deus, que fez-se sedento para nos tirar a sede, assim como fez-se pobre para nos enriquecer”.

Assim, indicou que “Deus tem sede de nossa fé e de nosso amor.

Como um pai bom e misericordioso, deseja para nós todo o bem possível e esse bem é Ele mesmo”.

Bento XVI fez ontem uma visita pastoral à paróquia de Santa Maria Libertadora em Roma e oficiou uma missa.

Durante a homilia, ele advertiu para o risco de “praticar uma religiosidade não autêntica, de buscar a resposta às esperanças mais íntimas do coração não em Deus” e, inclusive de “utilizar Deus como se estivesse ao serviço de nossos desejos e projetos”.

“Em quantas ocasiões nossa fé se mostra frágil, nossa confiança fraca, nossa religiosidade contaminada de elementos mágicos e meramente terrenos”, disse o pontífice.

Além disso, pediu aos fiéis que abram cada vez mais seu coração a uma ação pastoral missionária, que leve cada cristão a encontrar as pessoas, em particular os jovens e as famílias, “para anunciar-lhes o amor misericordioso de Deus”.

Fonte: EFE