O Papa disse hoje que a Igreja não se opõe à pesquisa científica com células-tronco, mas lembrou que sua posição “é clara: sim à pesquisa sempre que não for feita em detrimento de outros seres humanos, cuja dignidade é intocável em todos os estados de sua existência”.

Bento XVI fez estas afirmações diante de cerca de 15 mil pessoas que assistiram à audiência pública das quartas-feiras, que, devido ao forte calor em Roma, unido ao alto nível de umidade e ao fato de que o Papa tem mais de 80 anos, foi realizada em dois locais diferentes, a Basílica de São Pedro e a Sala Paulo VI do Vaticano.

Ao saudar aos participantes de um congresso internacional sobre células-tronco adultas, organizado pela Universidade La Sapienza de Roma, o Pontífice lembrou que a posição da Igreja neste campo, “apoiada pela razão e pela ciência, é clara”.

“A pesquisa científica deve ser estimulada e promovida sempre que não for feita em detrimento de outros seres humanos, cuja dignidade é intocável em todos os estados de sua existência, desde o momento da concepção até a morte natural”, afirmou.

Diante de cerca de oito mil fiéis que lotaram a Sala Paulo VI, o Papa dedicou a catequese de hoje a São Cirilo de Jerusalém, outro dos pais da Igreja antiga, nascido por volta do ano 315 na cidade santa.

Bento XVI ressaltou as catequeses de Cirilo, das quais 24 foram conservadas, e disse que constituem um ensinamento sobre a nova vida do cristão depois do batismo.

As catequeses tentam ajudar a compreender e viver o desígnio de Deus, prosseguiu o Pontífice.

“A catequese era um momento importante na vida da comunidade cristã, em cujo seio se formava o futuro fiel, acompanhado pela oração e o testemunho dos irmãos”, disse.

A audiência de hoje é a 100ª desde que Bento XVI foi eleito Papa, em 19 de abril de 2005. A Prefeitura da Casa Pontifícia informou hoje que 2,28 milhões de pessoas assistiram às audiências públicas das quartas-feiras nos dois anos de Pontificado.

Em 2005, o Pontífice celebrou 32 audiências, na presença de 810 mil fiéis. Em 2006, foram 45 audiências públicas, com um público total de 1.031.500 pessoas.

Neste ano o Papa já realizou 23, incluindo a de hoje, das quais participaram 438.600 fiéis.

Fonte: Último Segundo