Refugiados devem ser abraçados, e não temidos, disse Francisco. Cuidar dos pobres é tarefa de todos os membros da Igreja, afirmou.

Prédios eclesiásticos ociosos poderiam receber refugiados, propôs o Papa Francisco nesta terça-feira (10) a candidatos a asilo em Roma, salientando a ênfase do seu pontificado na defesa dos desfavorecidos.

Por causa da redução no número de interessados na vidamonástica, muitos conventos foram transformados em hotéis, o que garante fundos para a Igreja, mas motiva críticas.

“Conventos e monastérios vazios não deveriam ser transformados em hotéis pela Igreja para ganhar dinheiro … Não são nossos, são para a carne de Cristo, que é o que os refugiados são”, disse Francisco em audiência privada no Centro Jesuíta Astalli para refugiados. A transcrição da fala foi divulgada pelo Vaticano à imprensa.

Francisco disse no evento que os refugiados devem ser abraçados em vez de temidos, e que cuidar dos pobres não deve ser trabalho para “especialistas”, e sim para todos os membros da Igreja e isso deveria estar contemplado inclusive no treinamento dos padres, segundo o papa.

“A palavra solidariedade assusta as pessoas no mundo desenvolvido”, afirmou o pontífice argentino.

[b]Fonte: G1[/b]