Dezenas de milhares de fiéis se reúnem na Praça de São Pedro à espera da cerimônia de canonização dos papas João 23 e João Paulo 2º.

O papa Francisco proclamou neste domingo (27) a santidade dos papas João 23 e João Paulo 2º e pediu, em um grande cerimônia na Praça de São Pedro, que ambos os pontífices sejam inscritos nos livros dos santos da Igreja.

O rito foi feito em latim, ao começo do ato no qual a Igreja Católica eleva aos altares aos dois papas, em cerimônia que também celebrada com o papa emérito Bento XVI.

[img align=left width=300]http://imgsapp.diariodepernambuco.com.br/app/noticia_127983242361/2014/04/27/501000/20140427084053749624o.jpg[/img]A proclamação da santidade dos dois papas foi recebida com um grande aplauso na Praça de São Pedro, assim como em outros lugares de Roma, onde dezenas de milhares de peregrinos se concentram perante telas gigantes de onde acompanham a cerimônia.

Francisco disse que os os pontífices foram “homens corajosos”, que não tiveram “medo” de contemplar Jesus e que viveram os desafios do século 20.

“São João 23 e São João Paulo 2º tiveram a coragem de olhar as feridas de Jesus, de tocar suas mãos. Não tiveram vergonha da carne de Jesus, não se escandalizaram dele, da sua cruz, não tiveram vergonha da carne do irmão”, afirmou o Francisco. “Foram sacerdotes, bispos e Papas do século XX. Conheceram as tragédias desse século, mas não foram sobrecarregados e julgados por elas. O mais forte, neles, era Deus, a fé em Jesus Cristo Redentor do homem e Senhor da história”, destacou Francisco.

Segundo o Papa, João 23 e João Paulo 2º também “colaboraram para recuperar a Igreja com sua fisionomia original”, principalmente o primeiro, através do Concílio Vaticano 2º. “João 23 foi para a Igreja Católica um pastor, um guia, mas também guiado pelo Espírito Santo. Esse foi seu grande serviço pela Igreja. Por isso, gosto de pensar nele como o ‘Papa da Docilidade do Espírito Santo'”, afirmou Francisco.

[b]Fonte: UOL[/b]