A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil manifestou-se nesta quinta-feira (27) contrariamente à descriminalização do uso de drogas no País.

Diante da discussão em curso no Supremo Tribunal Federal (STF), a entidade divulgou uma nota argumentando que a não punibilidade poderia agravar o problema da dependência química. “A liberação do consumo de drogas facilitará a circulação dos entorpecentes. Haverá mais produtos à disposição, legalizando uma cadeia de tráfico e de comércio”, avalia a entidade.

A discussão no STF foi interrompida na semana passada, diante de um pedido de vista do ministro Luiz Fachin. A expectativa é que a discussão seja retomada em setembro.

O presidente da CNBB, Sérgio da Rocha, disse estar convicto de que uma eventual liberação traria repercussão negativa na sociedade.

Entre as consequências apontadas pela CNBB estaria o aumento significativo da demanda para tratamento de dependentes.

Para a entidade, o ideal seria ampliar as campanhas de prevenção do uso da entorpecentes, associada à adoção de medidas para ampliar a educação, a oferta de emprego, cultura e esporte.

[b]Fonte: NE 10
[/b]