O monsenhor Celestino Migliore, observador do Vaticano nas Nações Unidas, afirmou nesta quinta-feira que a ONU é ineficaz no combate à pena de morte.

Para Migliore, o organismo internacional de não protege a vida humana de forma adequada. Em entrevista à Rádio Vaticano, o monsenhor disse que a ONU não se empenha em garantir a todos o “direito à sobrevivência”.

O religioso fez um balanço do ano de 2008 e falou sobre a posição contrária do Vaticano à proposta de França e UE (União Européia) em relação à descriminalização do homossexualismo.

“A Santa Sé considera que, com a proposta francesa, são legitimados os direitos dos homossexuais, inclusive em matéria de casamento e adoção de crianças”, disse.

Já o cardeal Renato Raffaele Martino, afirmou hoje ao diário “L’Observatore Romano” que a Igreja se opõe firmemente às leis que condenam homossexuais, às vezes, até à pena de morte.

“Estamos dispostos a lutar com todas as nossas forças, em todos os âmbitos, para defender a vida de cada pessoa, incluindo os homossexuais”, disse.

“No entanto, é um assunto diferente do caso no qual se quer forçar a Igreja a aceitar a identificação natural do casamento entre um homem e uma mulher com formas de união entre pessoas do mesmo sexo”, acrescentou.

Fonte: Folha Online