A lista de parentes de Estevam e Sônia Hernandes (foto), fundadores da Igreja Renascer em Cristo, que foram funcionários fantasmas da Assembléia Legislativa de São Paulo já conta com oito pessoas.

Lotadas no gabinete do deputado estadual Geraldo Tenuta (PFL), conhecido como Bispo Gê, elas receberam dos cofres públicos, desde 2003, pelo menos R$ 1 milhão – sem contar as gratificações que elevam esse valor em cerca de 70%.

Além dos filhos Fernanda Hernandes Rasmussen e Felippe Daniel Hernandes, e do genro Douglas Rasmussen – cuja presença na folha de pagamento da Assembléia foi revelada pelo Estado -, outros cinco familiares de Estevam e Sonia Hernandes foram nomeados para cargos comissionados e receberam salários e benefícios sem precisar cumprir expediente.

Pesquisa feita pelo Estado no Diário Oficial mostra que as nomeações no gabinete do deputado Bispo Gê eram distribuídas em esquema de rodízio.

Em 2003, por exemplo, entrou na folha de pagamento da casa José do Patrocínio Hernandes, irmão de Estevam Hernandes e administrador do haras em Atibaia que integra a lista de bens bloqueados da família. José do Patrocínio foi incluído como Agente de Segurança Parlamentar e ficou no cargo de abril de 2003 a abril de 2006, com salário-base mensal de R$ 3.039.

Sem contar as gratificações a que teve direito, recebeu R$ 109.404. Filho de José do Patrocínio, Estevam Hernandes Neto entrou na lista com o mesmo cargo oferecido ao pai – e pelo mesmo período. Também ganhou R$ 109.404.

Mulher e mãe dos três filhos de Felippe Hernandes – conhecido como Bispo Tid -, Danielle Azar foi incluída no rodízio de fantasmas como Assistente Técnico Parlamentar. De março de 2005 a outubro de 2006 recebeu salário-base de R$ 5.754,78. Ao final dos 19 meses, saiu com R$ 109.306.

Para Frederico Alexandre Rasmussen – irmão de Douglas Rasmussen, superintendente da Rede Gospel e marido de Fernanda -, sobrou o cargo de Secretário Parlamentar, que ocupa desde março de 2003. Já recebeu, ao todo, R$ 214.200.

Ex-chefe de gabinete da vereadora Lenice Lemos São Bernardo, conhecida como Bispa Lenice (PTB), Eduardo Hernandes – sobrinho de Estevam Hernandes – também teve salário garantido no gabinete do Bispo Gê. Em maio de 2004 foi nomeado Auxiliar Parlamentar. Ganhou salário-base mensal de RS 5.700. E, no final, recebeu RS 45.600.

No site da Renascer, o deputado Bispo Gê divulgou nota afirmando que Fernanda e Douglas Rasmussen de fato exerceram funções em seu gabinete: “dentro da mais ilibada conduta ética e profissional, trabalhando em função das mais variadas atividades parlamentares junto às minhas bases eleitorais e absolutamente em consonância com o regimento interno da Assembléia Legislativa”.

Fonte: Estadão