Por enquanto, católicos do noroeste do Estado do Rio Grande do Sul só não podem se confessar pela página de uma paróquia na Internet.

Não que seja impossível descrever os pecados pela rede: o problema é que, segundo a Igreja, a absolvição e a bênção do padre precisam ocorrer diante do fiel arrependido. A prática foi adotada em Ijuí, na paróquia Nossa Senhora da Natividade, mas municípios vizinhos aproveitam a novidade.

Cerca de 1,3 mil fiéis entram na página a cada mês para fazer pedido de missa, conferir o horário de celebrações, consultar a programação do dia-a-dia da paróquia, comunicar-se com o padre via e-mail e até ouvir uma rádio de músicas religiosas no site.

Entre 1999 e 2004, o padre Edson Roberto Menegazzi, 36 anos, trabalhou em Mormaço, no norte do Estado. Nesse período, cursou Letras na Universidade de Passo Fundo (UPF) e se acostumou a usar a internet para pesquisar e buscar informações sobre atualidades da Igreja e do mundo. Ao assumir a paróquia de Ijuí, em 2005, percebeu que a rede de computadores poderia ser usada como ferramenta para atrair os católicos. Desenvolvida gratuitamente por um fiel, a página entrou no ar em novembro daquele ano. Os gastos para mantê-la são de R$ 50 mensais com o provedor e R$ 30 anuais para o domínio (o endereço do site).

– A pregação não pode ocorrer apenas no púlpito. Temos de usar as ferramentas disponíveis para superar as barreiras que nos separam dos fiéis – destaca Menegazzi.

Uma das últimas novidades é a opção de conversar com representantes da paróquia em tempo real. Em uma janela, o visitante entra em contato com o coordenador da Pastoral de Comunicação da comunidade, Rigoberto Pereira, 31 anos, que responde a sugestões, críticas e pedidos de informações dos internautas pelo programa MSN Messenger.

– Eles podem também mandar e-mails, que são lidos por mim. Até é possível dar uma direção espiritual ou incluir nas orações pelo computador, mas a confissão não dá porque a absolvição e a bênção precisam ser presenciais – enfatizou o padre.

Usuário da página da Paróquia Nossa Senhora da Natividade, o funcionário de uma lan house Cristiano Palharini, 20 anos, geralmente busca informações sobre horários de missas no bairro Burtet, onde mora. Além disso, se quer falar pessoalmente com o padre, pergunta antes pelo MSN se o religioso estará disponível.

– Fica tudo mais fácil porque, se você tem acesso à internet, é só entrar na página para pegar as informações – vibra Palharini.

Fonte: Zero Hora