Acusado pela polícia de ameaçar e agredir a esposa, um pastor da Assembleia de Deus de Madureira foi preso nesta quarta-feira por agentes da Delegacia de Atendimento Especial à Mulher (Deam) de São João de Meriti. No depoimento prestado pela mulher do religioso, em setembro deste ano, ela conta que está “separada de corpo” do companheiro, mas ainda residia no mesmo teto, em Vilar dos Telles, na Baixada Fluminense. Rogério de Vasconcellos Mouta, de 53 anos, foi capturado em flagrante com um revólver e seis munições.

[img align=left width=300]http://ejesa.statig.com.br/bancodeimagens/az/ye/qx/azyeqxdvop75ob48thyj1wl3s.jpg[/img]Além de falar sobre a separação – o casal viveu por 13 anos juntos- a vítima disse ainda aos agentes da Deam/Meriti que o pastor não aceitava o rompimento da relação e chegou a gritar com ela: Se você me deixar, eu te mato!

Em outro trecho, a mulher disse que o pastor, que tem um escritorio de contabilidade, por diversas vezes a socou e falou que ela seria expulsa de casa para se prostituir.

Aos policiais da especializada, a vitima contou que foi até a igreja na Rua Carolina Machado para falar com o chefe da instituição e foi recebida por várias pessoas e não sendo atendida por ele.

Rogério foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo. A delegada titular da Deam/Meriti, Sandra Ornellas, ainda vai pedir a prisão pelos crimes de lesão corporal e ameaça.

[b]Fonte: O Dia[/b]