Uma operação que envolveu 60 policiais de Sorocaba e região prendeu ontem pela manhã, nos municípios de Mairinque e Alumínio, 11 pessoas acusadas de tráfico. Um dos líderes, Francisco Édson Saraiva, 46 anos, além de comandar dezenas de “bocas-de-fumo” nos dois municípios, também fazia pregações em templos evangélicos, segundo a polícia.

“Ainda não sabemos se ele era pastor de verdade, mas, pelo que apuramos, fazia pregações em igrejas”, disse o delegado Marcelo Pontes, responsável pela operação. O delegado não precisou em qual denominação evangélica o traficante evangelizava.

Com o bando, a polícia ainda apreendeu quatro carros, uma moto, dezessete telefones celulares, dois revólveres, munições diversas, 150 pedras de crack e aproximadamente 2 quilos de maconha. “Felizmente, o trabalho surtiu efeito”, enfatizou o delegado.

Trabalharam na operação policiais civis, militares e guardas municipais.

A polícia começou a investigar o bando há três meses. Após identificar 15 pessoas, o delegado Pontes abriu inquérito policial e pediu à Justiça mandados de prisão contra todos eles. O cumprimento ocorreu ontem, às 6h da manhã, simultaneamente nos dois municípios vizinhos. Quatro dos procurados, no entanto, não foram localizados. Entre os presos, três são mulheres.

As investigações ainda apontaram que o “pastor” Francisco era o mesmo homem que atuava no meio marginal. Ao lado de Cícero Cabral Bezerra, 31, ele controlava o tráfico nos bairros Lagoinha e São José, região central de Marinque, e em todo o município de Alumínio. “Eles tinham ligações com São Roque e Ibiúna, mas não podemos afirmar se nessas cidades eles mantinham bocas”, conta o investigador-chefe, Agnaldo Pedro de Oliveira.

A polícia também não sabe se a quadrilha praticava outros crimes ou se era especializada apenas em vender maconha, crack e cocaína.

Fonte: Bom Dia Sorocaba