Simpatizante ao extremo, o “pastor protestante” norte-americano Lars Clausen percorreu mil milhas em um uniciclo para chamar a atenção para os direitos civis de gays e lésbicas.

Agora, ele conta sua experiência no livro Hétero na América Gay: Minha Jornada de Uniciclo pelos Direitos Iguais (Editora Soulscapers), que acaba de ser lançado nos Estados Unidos.

“As diferenças de orientação sexual são tão simples quando a de uma bicicleta e um uniciclo. No meio de tantas rodas, eu escolhi uma maneira de mostrar que gays são pessoas normais. Todo dia, eu pedalava em busca de histórias e para dizer aos homossexuais que eles não devem ter medo. A condenação das igrejas à homossexualidade está completamente errada”, afirma Clausen no livro.

Sobre o fato de ser hétero, o pastor afirma que tem “um coração gay”. “Sou branco, hétero, casado, universitário: não estou à margem da sociedade. Por isso mesmo, encontro-me em posição privilegiada para defender gays e lésbicas”, afirma. “E também como leitor cuidadoso da Bíblia, sei que não há motivos para preconceito. Como cristão, devo buscar as pessoas que estão nas margens da sociedade, assim como fez um certo cara chamado Jesus”.

Clausen foi expulso do seminário da Igreja Luterana Evangélica em 1990 porque vivia maritalmente com sua namorada, com quem se casou oito meses depois da expulsão. “Lá eu já tinha amigos gays e lésbicas que tinham de escolher ou deixar a igreja ou mentir. Não entendo como é possível proclamar o amor de Jesus e excluir pessoas da Igreja”.

Depois da expulsão, Clausen procurou outras igrejas e serviu como pastor no Alaska e em Michigan. Em 2005, resolveu iniciar sua pedalada, de Vermont a Virginia, na costa leste dos Estados Unidos. Com a experiência posta em livro, ele pretende dar mais visibilidade aos direitos da comunidade GLBT.

Fonte: Reuters