No início do ano, a cidade de Masiphumelele, na África do Sul, foi palco de um tiroteio resultando na morte de um pastor batista, uma jovem mulher recém-batizada e terminando com o suicídio do assassino com um tiro de sua própria arma.

Depois de aberta a congregação de Masiphumelele, pela igreja batista Fish Hoek, o pastor Mokson tinha o desafio de pastorear essa pobre comunidade oriental de Cape.

Ele foi o pioneiro a abordar temas de prevenção, cuidado e tratamento contra o HIV/ AIDS e também pioneiro no desenvolvimento comunitário através da educação e programas relacionados à saúde.

“Foi um incidente horrível e devastador”, disse Wendy Ryan, que foi diretora de comunicação da aliança batista e que pertence à igreja batista de Masiphumelele.

Ela contou que pessoas de todo o mundo conheciam o pastor Mokson e seu enorme trabalho social. A comunidade local ainda está em choque e pede orações de todos os irmãos ao redor do mundo.

Fonte: Portas Abertas