O pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, João Carlos, foi detido no final da manhã desta quinta-feira, por determinação do juiz da 50ª Zona Eleitoral, Roberto Ferreira Filho e liberado pouco antes das 17 horas, pela Polícia Federal, após prestar depoimento.

Segundo informações da Justiça Eleitoral, foi encontrado material de propaganda política do pastor Reginaldo de Oliveira Ferreira (PMDB), candidato a deputado federal pela coligação “Amor, Trabalho e Fé”, dentro da sede da Igreja, na rua 15 de Novembro, em Corumbá (MS), na área central, o que é proibido pela lei eleitoral.

O pastor foi levado até o Fórum local após a apreensão do material, e teria se negado a entregar a propaganda, motivando a prisão por desobediência.

Tentou-se contato com o pastor detido, mas segundo o pastor Cosme dos Santos, ele não poderia atender naquele momento. Ainda de acordo com ele, nenhum material de propaganda foi apreendido dentro da Universal.

“O oficial de justiça só encontrou no Templo, informativo circular que não caracteriza propaganda política. O material apreendido, estava, na verdade, no porta-malas de um carro particular que estava estacionado em frente à sede e pertence a um membro da Igreja”, disse Cosme dos Santos.

Ele ainda questionou a “forma” como o pastor foi tratado. “Ele não cometeu nenhum crime e foi tratado com desrespeito”, ressaltou. Cosme dos Santos também afirmou que esta tarde, oficiais de justiça voltaram à sede da Igreja para fazer nova vistoria. “Eles não encontraram nada e ainda pediram para que os fiéis aguardassem do lado de fora do Templo, até a conclusão da vistoria, sob ameaça de prisão”, concluiu.

Fonte: Corumbá Online