Ministério Público do Paraná
Ministério Público do Paraná

O pastor Robson Brito, presidente da Igreja Assembleia de Deus de Maringá (PA), está sendo acusado de improbidade administrativa por causa de uma dívida de R$ 23 milhões atribuída à CIEADEP (Convenção das Igrejas Evangélicas Assembleia de Deus no Estado do Paraná).

Na última quinta-feira (5), o Ministério Público ouviu o pastor para colher informações sobre a dívida que é atribuída à CIEADEP.

Por conta da dívida, 12 templos da Igreja Assembleia de Deus integrantes da CIEADEP já foram postos para leilão. Sobre o pastor Robson Brito pesa a acusação de improbidade administrativa, segundo o promotor de justiça Maurício Kalache, da 6ª Promotoria de Justiça.

Para o pastor Robson Brito, que é o presidente da Igreja em Maringá, tudo não passa de uma guerra espiritual contra sua pessoa. Segundo informações da mídia local, ele enviou uma mensagem para os membros da sua congregação alegando perseguição da CIEADEP.

“Estão jogando pesado com armas da carne, do mundo e de Satanás”, disse ele em sua defesa.

“A 6ª promotoria de justiça me notificou dos autos de Notícia, Fato nº MPPR 0088.18.003503-7, e estarão presentes os advogados da convenção. Muito bom isso, mostra do que eles são capazes… Agora eles tiram da esfera administrativa”, escreveu o pastor.

Ainda segundo a mesma notícia, a denúncia contra o pastor Robson teria sido consequência da sua recusa em deixar o cargo de presidente da CIADEP.

Pastor Robson Brito, presidente da Assembleia de Deus de Maringá (PR)

Outro pastor, Osmar Soares, que também está com o templo da sua congregação para ser leiloado, publicou um vídeo endossando às acusações,  dizendo que “a igreja de Maringá está passando pelo pior momento de sua história”.

“Não é fácil para mim vim aqui fazer esse comunicado, mas o faço primeiramente com temor a Deus, em segundo lugar com amor à nossa igreja de Maringá”, disse o pastor Osmar.

Fonte: Gospel + e JM Notícia