Suspeito do crime foi preso no dia 22 de janeiro. Vítima foi morta dentro de igreja no bairro Céu Azul, em BH.

O pastor assassinado a tiros dentro de uma igreja evangélica no bairro Céu Azul, na Região de Venda Nova, em Belo Horizonte, morreu porque reagiu ao assalto, diz a delegada Cristiana Angelina, responsável pelas investigações. O suspeito do crime, Reinano Francisco de Oliveira, de 45 anos, foi preso no dia 22 de janeiro e apresentado nesta quinta-feira (13).

“Foi o típico caso de latrocínio. Ele [Reinano] levou da vítima o carro e o celular. Ele disse que queria apenas roubar, mas, como não conseguiu imobilizar a vítima, efetuou os disparos”, disse a delegada.

De acordo com a polícia, no dia do crime, o homem viu o religioso entrando na igreja e anunciou o assalto. Depois disso, a vítima foi levada para um quarto e teve as mãos amarradas. “Quando o suspeito estava amarrando os pés do pastor, ele se soltou e deu dois socos no ladrão. Eles lutaram e o suspeito deu um tiro no pé do pastor. Por fim, o Reinano conseguiu imobilizá-lo e deu um tiro na cabeça dele”, explicou.

Após o crime, o suspeito pegou o carro que pertence à igreja e fugiu. De acordo com a polícia, o objetivo do homem era chegar ao estado do Espírito Santo, mas ele teria ficado sem gasolina e, ao ver um carro de polícia, abandonou o veículo.

Ao fazer uma perícia no carro, a polícia encontrou uma nota fiscal de compra em Bocaiuva, na Região Norte de Minas Gerais. Na loja, o suspeito foi identificado por meio da câmera de segurança.

No dia 22 de janeiro, ao abordar Oliveira na porta de casa, ele reagiu e acabou levando um tiro no pé. Na apresentação, o suspeito confessou o crime e disse que, se o pastor não tivesse reagido, não teria morrido.

[b]Fonte: G1[/b]

Notícia relacionada: [url=https://folhagospel.com/modules/news/article.php?storyid=27790]Pastor é assassinado dentro da Igreja Universal em Belo Horizonte[/url]