O pastor Jeffress enfatiza que a melhor evidência para a existência da vida é a ressurreição de Jesus

Pastor sênior com cerca de 11 mil fiéis, na Primeira Igreja Batista em Dallas (EUA), Robert Jeffress afirmou recentemente que Jesus Cristo é uma boa notícia para pessoas de todas as crenças e conduz a decisão de Sua crença.

“Não importa se você é católico, batista, judeu, muçulmano ou ateu – qualquer um que confia em Cristo e pede perdão, pode ter certeza de um lugar reservado de garantia [no céu] “, afirmou Jeffress, em entrevista ao programa do apresentador Bill O’Reilly, do canal norte-americano Fox News.

Ao ponderar sobre vida após a morte, perdão e o julgamento de Deus, Jeffress enfatiza que a melhor evidência de crentes para a existência da vida é a ressurreição de Jesus. “Isso não é teologia, mas também um fato histórico”, avalia o pastor.

Jeffress também cita o famoso teólogo Clive Staples Lewis, que teria frisado que “para cada desejo humano há uma realidade correspondente na natureza”. De forma mais profunda, o pastor explica que “nós ficamos com sede, porque não há água… que há o anseio por intimidade física, porque há sexo. Assim como haveria desejo de imortalidade porque existe o céu”.

Mesmo que os céticos tenham suas dúvidas sobre a crença religiosa, Jeffress observa ainda que eventos históricos, em torno de morte e ressurreição de Jesus Cristo, fortalecem as evidências que argumentam a fé dos cristãos na vida após morte.

O pastor também abordou sobre a relação entre as boas obras e a fé, onde ele ressalta que as obras são um reflexo da fé e não têm precedência sobre a fé. “As boas obras vêm depois da fé… E é a fé que garante nosso lugar”, determina ao esclarecer porque há pessoas que cometem atos hediondos mesmo professando crer em Deus.

Na sequência, O’Reilly comenta que cristãos deveriam seguir um “código de conduta”, para se responsabilizar por seus atos, e Jeffress conclui que “Deus é justo” e que “a boa notícia é que quando nós confiamos em Cristo, somos perdoados. Ele toma o nosso pecado e nos separa dele”, resume.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]