O Comando da V Divisão da Polícia Nacional deteve um cidadão, que atende pelo nome de Muanza Sebastião João, de 47 anos, pastor da Igreja Evangélica Baptista de Angola (IEBA), por se encontrar em posse de 60 mil e quinhentos dólares falsos.

Segundo Eduardo Silva, chefe do Departamento de Investigação Criminal da V Divisão da Polícia, a detenção ocorreu no dia 22 de Fevereiro, no interior de uma residência, localizada no bairro Neves Bendinha, em Luanda.

Falando para o Jornal de Angola, Muanza Sebastião João, que é pastor desde 2003, disse que o dinheiro é de um cunhado seu, identificado por Craver, que o tinha dado para guardar.
“Quando Craver me deu o dinheiro para guardar, não perguntei quanto era nem a proveniência, porque na altura eu estava de saída”, justificou.

Muanza diz ter guardado o dinheiro por quatro dias. Segundo alegou, não sabia que as notas eram falsas. “Já mostrei a casa dele, sita no bairro Palanca, à Polícia.

Ele está em fuga. Nem sequer veio prestar declarações”, disse.

O chefe do Departamento de Investigação Criminal do Comando da V Divisão, subinspetor Eduardo Silva, disse que agentes da corporação detiveram o pastor na sua residência com o dinheiro falso.

O suposto cunhado, invocado por Muanza como sendo o dono do dinheiro, conseguiu escapar.

Por outro lado, a Polícia deteve igualmente um cidadão conhecido por Edmundo Agostinho, 25 anos, por se encontrar em posse de setenta e cinco mil Kwanzas falsos, em cédulas de mil e de dois mil Kwanzas, respectivamente.

Segundo a Polícia, os falsificadores copiavam o dinheiro a partir de uma nota verdadeira.
Edmundo Agostinho afirmou ao Jornal de Angola que o dinheiro pertence a um senhor identificado por Mbiavanga. Segundo suas alegações, este cidadão fez obras de construção civil na sua residência, onde deixou as cédulas falsas.

A Polícia disse que Edmundo tentou comprar um bem a uma senhora com notas falsas. Esta apercebeu-se que a nota era falsa e pediu auxílio policial.
A Polícia efetuou então uma busca à residência do cidadão onde encontrou as falsas cédulas.

A Polícia revelou que no período compreendido entre 19 e 25 de Fevereiro, o Comando da V Divisão realizou sete micro-operações que culminaram na detenção de 35 pessoas.
Estas pessoas são acusadas de cometer crimes como roubo e furto de celulares, de viaturas, bem como de posse ilegal de armas de fogo.

Fonte: Jornal de Angola