O corpo de um pastor de 29 anos foi encontrado com ferimentos de punhal no dia 20 de fevereiro, em um canal no distrito de Krishna, no Estado de Andhra Pradesh, sul da Índia.

O pastor Goda Israel foi encontrado morto na terça-feira, em um canal próximo a sua casa, na aldeia de Pedapallparru, na área Gudivada do distrito.

Goda trabalhava independentemente na área desde que se graduou pelo Instituto Bíblico Emanuel, da Missão Internacional Emanuel (EMI, sigla em inglês), no Estado de Rajasthan, em 2003. O pastor assassinado, que deixa esposa e filhos pequenos, cuidava de 15 igrejas que ele mesmo havia estabelecido na região.

“O pastor Goda já havia sido ameaçado por extremistas hindus por causa de seu empenho em pregar o evangelho na região e ele não tinha inimizade com ninguém”, informou ao Compass um líder da EMI que solicitou anonimato. Ele acrescentou que a perseguição aos cristãos é comum em Andhra Pradesh.

No dia 17 de fevereiro, Goda saiu para uma habitual reunião de oração em uma vila próxima, mas não retornou, informou a fonte. Membros da família de Goda foram à delegacia de Gudivada procurar ajuda, mas os policiais se recusaram a realizar buscas.

“Em vez disso, [os policiais] lhes disseram que ele voltaria logo e que não havia motivo para se preocupar”, contou a fonte.

O inspetor Venkat Rao confirmou que Goda Israel foi assassinado. “Abrimos um inquérito sob a seção 302 do Código Penal, e o resultado da autópsia está sendo aguardado”, disse ele.

O policial disse que não poderia afirmar que tipo de ferimento Goda sofreu até que o resultado da autópsia estivesse completo, mas a fonte da EMI contou que o corpo foi encontrado com ferimentos de punhal.

Ao ser questionado sobre a hipótese de que extremistas hindus estejam por trás do assassinato, o inspetor disse que não poderia saber com certeza, uma vez que o caso ainda está sob investigação.

“Assim que tivermos um relatório inicial das evidências, faremos as prisões”, disse ele. “Asseguramos que o pastor assassinado e sua família terão justiça”.

Outros assassinatos

A agência de notícias Compass noticiou anteriormente mais três casos de assassinato brutais e misteriosos de obreiros cristãos em Andhra Pradesh.

Dois pastores, K. Daniel e K. Isaac Raju foram mortos perto de Hyderabad, capital do Estado, em maio de 2005 (leia mais).

O jornal “New Indian Express” de 27 de junho de 2005 citou um homem identificado apenas como Goverdhan que alegava que ele e dois amigos tinham assassinado os dois pastores.

“Não sou contra o cristianismo, mas Raju e Daniel converteram centenas de famílias hindus”, disse Goverdhan. “Eles seduziam as famílias com dinheiro. Nós fizemos isso para evitar mais conversões. Esse ato deve ser uma lição para outros”.

Em 11 de setembro de 2000, duas pessoas não identificadas decapitaram o pastor Yesu Dasu, de 52 anos, no subúrbio de Mustabad, distrito de Karimnagar. O corpo do pastor foi encontrado em uma poça de sangue, ao lado de um machado, junto a uma auto-estrada. Extremistas hindus haviam advertido Yesu para que parasse com as pregações ou enfrentaria conseqüências. Sete anos depois, o caso permanece sem solução.

Embora Andrha Pradesh seja governado pelo Partido do Congresso, com o cristão Y.S.Rajsekhara Reddy como ministro, os extremistas são bastante ativos no Estado. Acusando o ministro de dar livre acesso a missionários cristãos, os extremistas freqüentemente promovem ataques contra obreiros cristãos.

Fonte: Portas Abertas