Algumas mídias na Armênia encorajam a intolerância a minorias religiosas, forçando acusações contra eles, e a última ocorrência tinha sido no dia 15 de fevereiro, quando um Testemunha de Jeová foi acusado falsamente de assassinato em Sevan, porém o Forum 18 relatou mais um caso de processo contra um pastor na última semana.

Enfrentando falsas acusações, o pastor pentecostal Vladimir Bagdasaryan encara um processo criminal por “obstruir as atividades profissionais legítimas de um jornalista”, na cidade de Sevan, no centro da Armênia.

Padres da Igreja Apostólica Armênia conseguiram levar uma equipe do canal de TV Shant à Igreja Pentecostal de Sevan. Embora a equipe não tenha pedido permissão para estarem em local privado onde a Igreja se reunia, eles se recusaram a sair quando solicitado. O pastor, então, tentou impedir as filmagens.

Após a emissora fazer uma reportagem afirmando que o pastor tinha atacado os jornalistas, um inquérito criminal foi aberto. A polícia se recusou a dizer ao pastor Bagdasaryan o que era “legítima” sobre as atividades de jornalistas.

A associação de jornalistas Yerevan Press Club disse ao Forum 18 que os promotores não são geralmente tão rápidos para defender os jornalistas e iniciar um processo penal.

Perguntado pelo Fórum 18 se qualquer jornalista tem o direito de entrar na propriedade privada da TV Shant e a filmá-la, um jornalista da emissora respondeu: “Não é a mesma situação”.

Além disso, o ministro da justiça armênia Hrair Tovmasyan prometeu que o controverso projeto de alteração legislativa será reelaborado.

No entanto, um porta-voz do ministério não disse ao Forum 18 se reelaborou emendas se poderão ser disponibilizados para discussão pública, antes, depois ou ao mesmo tempo em que são enviadas para o Conselho da Europa da Comissão de Veneza para a revisão.

[b]Fonte: Missão Portas Abertas[/b]