“O fim do mundo não é como muitos pensam. O fim do mundo não significa a destruição da terra, mas sim o fim de uma era”, afirma o pastor.

O Pastor Edison Naves, autor do Livro Escatologia e a Vida de Santidade, explicou ao The Christian Post, que o fim do mundo será o fim de uma era em que a partir daí, Cristo vai governar pessoalmente aqui na terra, com “Novos Céus e Nova Terra.”

“Depois do milênio, quando Cristo governar pessoalmente aqui na terra, haverá Novos Céus e Nova Terra, e viverão os crentes eternamente com a presença do Senhor.”

A terra vai passar por uma transformação mas não será o fim do mundo, afirmou Naves. “Haverá o fim da era, onde está previsto que a terra vais ter transformada e o céu vai ser transformado em Nova Terra e Novo Céu. Será a habitação dos crentes.”

Segundo ele, três eventos devem acontecer antes que chegue o fim da era: o arrebatamento da Igreja com a Segunda Vinda de Jesus Cristo; a tribulação de 7 anos com a restauração do povo de Israel; e o período de mil anos com o reinado de Cristo aqui na Terra e morte definitiva do diabo.

A partir daí os que permaneceram fiéis a Cristo, disse ele, viverão eternamente na presença de Deus e os que houverem rejeitado a Cristo viverão eternamente sem Deus, na presença do diabo, lançados no lago de fogo.

O lago de fogo, como esclareceu Naves, é o estado eterno, um lugar que Deus preparou para satanás e seus anjos e juntamente com aqueles que não se renderam ao Senhor Jesus Cristo. Assim, a morte eterna, nada mais é que a separação do homem de Deus. Por isso é a morte eterna. “A vida eterna é uma vida com Deus, e a morte eterna, é a vida sem Deus, onde o diabo vai estar.”

“Deus não vai estar lá, é um lugar de egoísmo, de sofrimento. Os que rejeitarem a Cristo até lá, cairão no lago de fogo juntamente com satanás e aí é a morte eterna, uma vida sem Deus.”

Naves enfatizou, “Imagine uma terra, sem crentes, sem Deus a atuar e seus anjos, e com a presença do diabo e seus demônios juntos. Esse caos que alguém pode imaginar é exatamente o lago de fogo.”

Isso é diferente do que chamamos de “inferno,” disse ele, que é “um lugar temporário que fica aqui no centro da terra, em algum lugar físico,” para os que rejeitam a Cristo. E ele termina no julgamento do Trono Branco depois do período do milênio, onde serão julgados os incrédulos desde Caim até o último “lá no final do milênio,” por suas obras antes de serem lançados no lago de fogo.

“O trono branco é o lugar de julgamento onde o juiz vai declarar a sentença daqueles que são perdidos. Vai ser determinado o grau de punição que eles vão ter no lago de fogo. Uns vão sofrer mais e outros vão sofrer menos.”

Haverá também o julgamento para os crentes em Cristo, separadamente no Tribual de Cristo que é, “onde o crente vai ser recompensado pelas obras que ele praticou depois de sua salvação.”

Hoje, profeticamente o relógio de Deus está parado. Segundo Pastor Edison, estamos vivendo uma época entre a 69º e 70º semana (semana equivale a um grupo de 7 anos lunares) descrito no livro de Daniel.

“Nós vivemos agora um intervalo entre as 69º semana e 70º semana, e esse período vai terminar exatamente com o arrebatamento.”

Profeticamente a 69º semana culminou na vinda do Messias, a primeira vinda de Cristo, com data certa. Entretanto o início da 70º semana, que determina o início do período da tribulação, se dará depois do arrebatamento, com um pacto de paz entre o anticristo e Israel.

“A vinda do Messias estava datada, exatamente o dia vinda de Jesus Cristo. E esse dia se cumpriu quando ele entrou em Jerusalém.”

Mas o dia do arrebatamento – que é o próximo evento – é incerto, segundo ele informou, sem data profetizada. Assim, ele pode ocorrer a qualquer momento.

“Pode ser a qualquer instante, porque não haverá sinais, não há nenhuma profecia para ser cumprida.”

é exatamente por isso que o seu livro se chama Escatologia e a Vida de Santidade, explicou Naves. “Porque Cristo disse que tínhanmos que vigiar. Porque ninguém saberia o dia em que ele iria voltar. é inesperado, e o crente tem que a cada dia esperar Cristo voltar. Todos somos pacientes terminais, como se Cristo fosse voltar hoje.”

Depois do arrebatamento os que ficarem passarão pela tribulação. “Depois disso haverá o período da tribulação, que são 7 anos lunares – 3520 dias dividido em 2 partes iguais de 1260 dias – que é a 70º semana do livro de Daniel.”

O período da tribulação é um período específico onde Deus tem dois propósitos: 1- Restaurar Israel; e 2- Derramar terríveis juízos sobre a humanidade perdida, os incrédulos.

Depois de começar a 70º semana – quando o anticristo fizer pacto de paz com Israel – então o relógio profético de Deus começa a rodar novamente e “em 1007 anos acontece o Trono Branco e Novos Ceús e Nova Terra,” de acordo com o teólogo brasileiro.

“Então acontecendo o arrebatamento fica determinado o fim em 1007 anos [7 anos de tribulação + 1000 anos do período milenar]. Ao final dos 7 anos Cristo vai voltar no monte das oliveiras, ele vai vir fisicamente, pessoalmente, julgar as nações (de acordo com Mateus 25), e vai estabelecer o seu reino e reinar de Jerusalém por 1000 anos.”

é aqui que o período milenar se inicia e termina com Cristo derrotando o diabo em definitvo, jogando-o no lago de fogo.

“No final do milênio, o diabo é solto e reúne um punhado de gente das nações para se voltar contra Cristo. Então Cristo definitivamente joga o diabo no lago de fogo e instaura o trono branco para julgar todos os incrédulos e lançá-los no lago de fogo. E os salvos então tem Novo Céu e Nova Terra para a habitação eterna.”

“Aí será o fim. Não será a destruição do globo, mas o início de uma Nova Era,” concluiu Naves.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]