Um pastor evangélico americano e sua esposa que trabalham em Israel há quase 20 anos receberam ordem de deixarem o país dentro de 14 dias, por causa do envolvimento deles com o trabalho missionário, segundo informações da BosNewsLife.

Ron Cantrell, 59 anos e sua esposa, Carol, de 54 anos, presidem um pequeno grupo “Shalom, Shalom Jerusalém” há quatro anos. Antes disso, Ron trabalhou por 14 anos em uma organização evangélica. Dois de seus filhos se casaram com israelenses e possuem nacionalidade israelense, segundo a mídia local.

O pedido de Ron Cantrell para obter residência permanente foi negado. Na última sexta-feira, dia 17, oficiais do Ministério do Interior disseram ao “Jerusalem Post” que a decisão foi tomada por causa das suspeitas de trabalho missionário contra Ron.

Autoridades israelitas proibiram o trabalho de missões cristãs entre judeus. Ron Cantrell negou que estivesse envolvido no trabalho missionário para judeus.

Ele apenas disse que “a organização recolhe dinheiro para Israel e para projetos sociais que atendem novos imigrantes”, inclusive judeus que vieram da ex-União Soviética.

Enquanto trabalhava para a organização cristã Pontes para Paz, Ron Cantrell recebeu uma licença de residência especial, mas isso foi mudado para um visto turístico” temporário” quando ele começou as atividades na “Shalom Shalom Jerusalém”, disse o pastor. Um visto turístico precisa ser renovado a cada três meses.

Não ficou imediatamente claro quando e se o pastor Ron Cantrell poderá voltar a Israel. O caso trouxe preocupações entre cristãos estrangeiros que trabalham lá diante da crescente pressão e perseguição de grupos judeus ortodoxos e autoridades sobre os cristãos evangélicos.

Apesar disso, há igrejas evangélicas em Israel trabalhando junto aos judeus, ainda que clandestinamente, segundo fontes que pediram anonimato à BosNewsLife.

O “Jerusalém Post” disse também que está claro “o ato de conversão de cristãos evangélicos em Israel, o que é proibido, e a convicção fundamental deles de que o retorno dos judeus para a Terra Santa foi descrito na Bíblia, assim como o retorno do Messias.”

Fonte: Portas Abertas