Pela primeira vez em sua história, a Disney deixará claro em uma de suas produções, a existência de um personagem homossexual. No novo filme “A Bela e a Fera”, o personagem LeFou terá o que a produtora está chamando de “um momento exclusivamente gay”.

[img align=left width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/840×500/smart/media.guiame.com.br/archives/2017/03/03/1772600820-disney-beijo-gay.jpg[/img]Um grupo pró-LGBT também elogiou a ‘Disney XD’ – uma propriedade da empresa – por ter exibido recentemente um beijo gay em um de seus desenhos, intitulado “Star vs. the Forces of Evil”.

A ocorrência dos dois fatos, quase que simultâneos, tem preocupado cristãos, sobretudo pais, que até então deixaram seus filhos assistirem a produções da Disney. O pastor Franklin Graham (filho do evangelista mundialmente famoso, Billy Graham) destacou sua decepção com a produtora, que anteriormente lançava filmes e desenhos que exaltavam a importância das relações familiares.

“A Disney exibiu um desenho animado com casais gays se beijando e também foi anunciado que seu novo filme ‘A Bela e a Fera’, que contará com um personagem gay em uma tentativa de normalizar esse estilo de vida”, disse Graham. “Eles estão tentando forçar a introdução da agenda LGBT no coração de seus filhos. Cuidado!”.

O pastor reconheceu que a produtora tem a liberdade de escolher os personagens e temáticas que serão abordadas em seus filmes e desenhos, mas também convidou os cristãos de todo o mundo não assistir mais as produções da empresa.

“A Disney tem o direito de fazer seus desenhos animados, é um país livre. Mas como cristãos, também temos o direito de não apoiar essa empresa. Espero que os cristãos em todo lugar digam não à Disney”, destacou.

Graham afirmou que conheceu Walter Disney (fundador da companhia de mídia) e assegurou que desenhista ficaria chocado ao ver no que a sua própria empresa se transformou.

“Conheci Walt Disney quando eu ainda era um menino. Ele foi muito gentil comigo, com meu pai Billy Graham e meu irmão mais novo, quando o visitamos. Ele ficaria chocado ao ver o que aconteceu com a empresa que ele mesmo fundou”, afirmou o pastor.

O evangelista fez um apelo aos cristãos, pedindo para que aqueles que sentiram ofendidos pela inclusão da agenda LGBT nas produções mostrem à Disney como eles estão se sentindo.

[b]Fonte: Guia-me[/b]