Líder da igreja indonésia, Abraham Ben Moses
Líder da igreja indonésia, Abraham Ben Moses

Um tribunal indonésio condenou um pastor protestante a quatro anos de prisão por difamação religiosa depois de discutir o cristianismo com um taxista muçulmano.

Rev Abraham Ben Moses, um convertido do Islã, também foi condenado a pagar uma multa de 50 milhões de rupias (£ 2.600) ou servir um mês adicional na prisão.

O juiz disse que ele ‘espalhou intencionalmente informações destinadas a incitar o ódio contra um indivíduo, grupo e sociedade com base na religião’.

Moses foi preso em dezembro depois que ele enviou uma gravação de uma conversa com o taxista para o Facebook.

Na gravação, ele citou um verso do Quraan e convidou o motorista a se converter, de acordo com o World Watch Monitor.

Os promotores pediram uma sentença de cinco anos. No entanto, os advogados de Moses deve apelar contra a sentença de quatro anos. “A sentença é pesada demais para o réu”, disse Maxie Ellia, sua advogada.

Em um vídeo de seu testemunho  postado por Voz dos Mártires, Moses diz: ‘Eu espalhei a palavra de Jesus Cristo para que todos possam ser salvos … Eu recebo minha força de Jesus, Ele é um grande amigo’.

Uma porta-voz da International Christian Concern, Gina Goh, disse em um comunicado: “O governo indonésio deve rever a lei de blasfêmia do país, pois é cada vez mais explorado por grupos radicais muçulmanos para atingir indivíduos que eles consideram ofensivos e teologicamente fora da linha.”

A Indonésia é o número 38 da Lista Mundial da Perseguição cujo ranking mostra os países onde é mais difícil ser cristão.

Fonte: The Christian Times